Ano bissexto – uma data necessária

Em  2012,  teremos  mais  um  ano  bissexto. Por  que  ele  é  necessário?   E   quais   são   as   suas   consequências?

Um ano tem 365 dias, o que corresponde a, aproximadamente, o tempo que a Terra leva para dar uma volta completa em torno do Sol – movimento chamado de translação. Bem entendido: esse é um tempo aproximado! Na realidade, ele é de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos.

Essa diferença a mais de, aproximadamente, seis horas em um ano gera, a cada quatro anos, um dia a mais em nosso calendário (6 x 4 = 24 horas = 1 dia). É justamente aí que entra o ano bissexto. Nele, temos o mês de fevereiro com 29 dias (e não 28, como ocorrem em outros anos), resultando no ano de 366 dias. Isso contorna parcialmente o problema. O que temos agora é um excesso de 11 minutos e 14 segundos (6h – 5h48min46s = 11min14s) por ano.

Comemoramos a chegada de um novo ano, mesmo sem o anterior ter completado exatamente um ano (365 dias). Foto: André Oliveira. Licenciada pelo Creative Commons Atribuição 2.0 Genérica.

Comemoramos a chegada de um novo ano, mesmo sem o anterior ter completado exatamente um ano (365 dias). Foto: André Oliveira. Licenciada pelo Creative Commons Atribuição 2.0 Genérica.

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois de cem anos, teremos cerca de 18 horas a mais em nossa contagem (11min 14s x 100 = 67.400s = 18,72h). É por isso que anos múltiplos de cem não são considerados bissextos, exceto os múltiplos de 400. Isso é necessário para equilibrar as horas. Retiramos um dia a cada cem anos e adicionamos outro a cada 400 anos [(18h – 24h) x 4 + 24h = 0]. Mas, quando arredondamos 18,72 para 18, voltamos a ter um excesso de tempo, que será retirado a cada 3.300 anos!

Para tentarmos ser mais claros, vamos representar o ano solar em frações. Observe:

figura01

 

 

Repare que:

- a cada 4 anos, temos um dia a mais;

- a cada 100 anos, temos um dia a menos;

- a cada 400 anos, temos um dia a mais;

- a cada 3.300 anos, temos um dia a menos.

O Planeta Terra não gira em torno de seu próprio eixo em exatamente 24 horas (1 dia). Foto: Maria Abad Selma. Cortesia NASA/JPL.

O Planeta Terra não gira em torno de seu próprio eixo em exatamente 24 horas (1 dia). Foto: Maria Abad Selma. Cortesia NASA/JPL.

 

 

 

 

 

 

Perceba, ainda, que não estamos sendo totalmente precisos, pois, além de o número de dias do ano solar corresponder a um valor aproximado, a Terra gira em torno de seu eixo (movimento de rotação) em, um tempo próximo de 23 horas e 56 minutos, e não em 24 horas. Mas convenhamos: esses minutinhos acarretarão consequências mais sérias somente daqui a milhares de anos…

Por Adriano Carlos Leal