Entrada da Venezuela no bloco econômico do Mercosul

Desde o ano de 2006, a Venezuela aguardava a oficialização para a sua entrada no bloco econômico do Mercosul – aliança econômica formada até então por: Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Essa decisão ocorreu no dia 31 julho de 2012 em uma reunião extraordinária, que contou com a presença dos presidentes Dilma Rousseff, do Brasil; Cristina Kirchner, da Argentina; José Mujica, do Uruguai; e Hugo Chávez, da Venezuela. O representante do governo paraguaio não participou da reunião, pois, devido à destituição do presidente Fernando Lugo no dia 22 de junho de 2012, as relações do Mercosul com o Paraguai foram temporariamente suspensas.

Os presidentes Hugo Chávez (Venezuela), Dilma Rousseff (Brasil), José Mujica (Uruguai) e Cristina Kirchner (Argentina) posam para a foto da adesão da Venezuela ao Mercosul  no Palácio do Planalto, em Brasília. Foto: Wilson Dias/Abr. Licenciado por Creative Commons 2.5 Brasil.

Os presidentes Hugo Chávez (Venezuela), Dilma Rousseff (Brasil), José Mujica (Uruguai) e Cristina Kirchner (Argentina) posam para a foto da adesão da Venezuela ao Mercosul no Palácio do Planalto, em Brasília. Foto: Wilson Dias/Abr. Licenciado por Creative Commons 2.5 Brasil.

Com a entrada da Venezuela, o Mercosul torna-se a quinta maior economia do mundo, atrás apenas de Estados Unidos, China, Alemanha e Japão. Esse bloco econômico também se destaca pelo seu grande contingente populacional, pois a soma da população de seus países componentes totaliza em torno de 270 milhões de pessoas, o que significa um mercado consumidor atrativo e promissor.

Além do aumento das relações comerciais, o ingresso da Venezuela também pode representar a ampliação da disponibilidade de recursos energéticos para o bloco, pois esse país possui uma das maiores reservas petrolíferas e de gás do mundo.

Como primeira medida após a entrada oficial ao bloco, o governo venezuelano fechou um acordo com o Brasil para a compra de 20 aviões da empresa brasileira Embraer. Também, futuramente, poderá negociar a venda de derivados do petróleo aos demais países membros.

Apesar dos pontos positivos, a entrada da Venezuela no Mercosul é controversa. O Paraguai contesta o ingresso venezuelano ao bloco, pois não participou das discussões que definiram essa oficialização. A formalização da candidatura da Venezuela ao Mercosul dependia da aprovação do Congresso paraguaio. Além disso, alguns analistas observam com certa cautela tal adesão, devido às posições político-ideológicas do governo de Hugo Chávez.

Por Helena dos Santos Lisboa