História do trampolim acrobático

A história nos apresenta registros de que o surgimento do trampolim ocorreu há centenas de anos, mas não se pode precisar a sua origem. Sabe-se, por meio de pesquisas, que na Idade Média os acrobatas de circo utilizavam tábuas e molas nas suas apresentações e os trapezistas executavam novos saltos a partir de impulsos que eram realizados nas redes de segurança. No início do século XX havia apresentações em que era utilizada “cama de pular”, para entretenimento das platéias. A “cama de pular” era, na realidade, um pequeno trampolim coberto com roupas de cama, sobre o qual os artistas desempenhavam a maior parte de seus atos acrobáticos.

O trampolim, na história circense, foi desenvolvido e projetado primeiramente por um artista chamado Du Trampolin. Ele percebeu a possibilidade de utilizar a rede de segurança do trapézio como uma forma de propulsão e decolagem para fins acrobáticos. Experimentou diferentes sistemas de estrutura e suspensão, chegando finalmente ao conhecido trampolim, que foi modificado, sendo a rede reduzida a um tamanho prático para performances acrobáticas de artistas circenses.

O trampolim, como atividade esportiva, foi criado por George Nissen, em 1936, e foi institucionalizado como modalidade esportiva nos programas de Educação Física, em escolas, universidades e treinamentos de militares americanos. Atualmente, é praticado e difundido nas academias do mundo inteiro. Desta forma, se consolida, então, um novo esporte.

No período da segunda guerra mundial, a escola da marinha e aeronáutica norte-americana aplicou o uso do trampolim no treinamento de seus pilotos e navegadores, dando a esses militares a oportunidade de praticar atividades físicas exaustivas e praticar a orientação concentrada.

No período pós-guerra, o desenvolvimento do programa espacial trouxe novamente o trampolim, para contribuir no treinamento, tanto de astronautas americanos quanto de soviéticos, dando a eles a experiência de posições corporais diversificadas em vôo.

Em Londres, na década de 60, houve as primeiras competições internacionais de Trampolim Acrobático, mais de 54 países já disputavam vinte e um campeonatos mundiais.

Em 1997 o Comitê olímpico Internacional (COI), incluiu o Trampolim Acrobático como modalidade olímpica. Assim o esporte participou, pela primeira vez, na Olimpíada de 2000, em Sidney, na Austrália.

O Trampolim Acrobático mesmo tendo uma história de sucesso, corre o risco de não seguir nos calendários de competições mais populares como Pan-americanos e Olimpíadas, pois apenas cinco países tiveram representantes em sua estréia dentro do programa Pan-americano, com domínio do Canadá e dos Estados Unidos. Para a modalidade continuar tendo espaço no calendário de competições, o esporte da cama elástica precisa se popularizar e, em Guadalajara (2011), obter no mínimo oito países inscritos para a disputa da competição continental.