O homem mais procurado do mundo está morto

No final da noite de 1º. de maio de 2011, o presidente dos EUA, Barack Obama, fez uma declaração para o seu país e para o mundo dizendo: “Os Estados Unidos conduziram uma operação que matou Osama Bin Laden, líder da Al Qaeda”. No discurso, o presidente fez um resumo dos quase 10 últimos anos em que os EUA estiveram procurando o terrorista.

Iniciou pelo atentado às torres gêmeas, de 11 de setembro de 2001, narrando em detalhes a explosão e o impacto das mortes sobre centenas de famílias estadunidenses. Abordou a Al Qaeda, organização terrorista, como líder dos atentados e a necessidade dos EUA de buscar por justiça, prendendo e julgando os culpados.

Apontou Bin Laden como o líder dessa organização terrorista e mencionou sua fuga do Afeganistão para o Paquistão. Obama também narrou que, quando assumiu o governo, colocou como alta prioridade a busca e a prisão desse líder. A operação se efetivaria em 1.º de maio, depois de meses de estudo das organizações de inteligência.

O presidente falou da importância da morte desse homem que, por duas décadas, foi líder e símbolo da Al Qaeda. Também deixou claras algumas questões: que a morte de Bin Laden não é o fim da luta contra a Al Qaeda e que a guerra dos EUA não é contra o Islã e sim contra o terrorismo.

Mencionou os altos custos da guerra, elogiou as forças de inteligência americanas e confortou os familiares que perderam seus entes queridos dizendo: “Justiça foi feita”.

Operação Torii, uma das missões do exército estadunidense e seus aliados em 2002, visando à busca de Osama Bin Laden no Afeganistão. Foto: Expertinfantry. Licenciado por Creative Commons. Atribuição 2.0 genérica (CC BY 2.0).

Operação Torii, uma das missões do exército estadunidense e seus aliados em 2002, visando à busca de Osama Bin Laden no Afeganistão. Foto: Expertinfantry. Licenciado por Creative Commons. Atribuição 2.0 genérica (CC BY 2.0).

A reação da população

Após o discurso oficial, centenas de pessoas foram às ruas, vestindo símbolos pátrios, carregando bandeiras e celebrando a morte do terrorista número um, num misto de alegria, orgulho e alívio (The Economist).

A captura de Bin Laden, pelo menos a princípio, traz um alento para a população estadunidense, que vive uma grave crise econômica e tem uma dívida altíssima e crescente, em grande parte, fruto do envolvimento nas duas frentes de guerra – Afeganistão e Iraque.

A imagem, em uma casa particular em Red Hook, nos Estados Unidos, mostra a ansiedade e a insatisfação de parte da população pela demora em encontrar Osama Bin Laden. Foto: Rebecca Wilson. Licenciado por Creative Commons. Atribuição 2.0 genérica (CC BY 2.0).

A imagem, em uma casa particular em Red Hook, nos Estados Unidos, mostra a ansiedade e a insatisfação de parte da população pela demora em encontrar Osama Bin Laden. Foto: Rebecca Wilson. Licenciado por Creative Commons. Atribuição 2.0 genérica (CC BY 2.0).

Quem foi Bin Laden

Osama Bin Laden nasceu em 1957 na capital da Arábia Saudita, Riad. Fazia parte da elite do país, sendo filho de empreiteiros da construção civil. Seguiu a carreira da família, formando-se engenheiro civil. Em 1979, com a invasão soviética ao Afeganistão, juntou-se a milhares de voluntários que faziam parte da resistência afegã. Acredita-se que ele recebeu um treinamento de segurança da própria CIA para a função.

Em 1989, com a derrota soviética, Bin Laden retornou à Arábia como herói. Porém, depois de se decepcionar com a corrupção de seu país, aderiu a atividades antigovernistas sendo malvisto no país. Com uma herança milionária, em 1993 utilizou seus recursos para formar a Al Qaeda (A base), uma rede terrorista que uniu inclusive pessoas que lutaram com ele no Afeganistão.

O grupo se tornou famoso por diversas ações terroristas ao redor do mundo. Entre elas estão um primeiro ataque a bomba, em 1993, ao World Trade Center; o atentado ao navio de guerra estadunidense Cole, no porto do Yemen, em 2000; e os ataques às embaixadas americanas no Quênia e na Tanzânia, em 1998. O ponto alto das atuações se deu nos atentados ao Word Trade Center e à sede do Pentágono em 2001.

Tudo isso o tornou o homem mais procurado pela CIA no mundo.

A Guerra contra o Terror levou a figura de Osama Bin Laden a ser conhecida em todo o mundo. Na foto, a irreverência no desfile de rua em Valência, na Espanha, onde George W. Bush e Osama Bin Laden tocam juntos. Nos pescoços o símbolo de paz e amor. Foto: Quim Massana. Licenciado por Creative Commons. Atribuição 2.0 genérica.

A Guerra contra o Terror levou a figura de Osama Bin Laden a ser conhecida em todo o mundo. Na foto, a irreverência no desfile de rua em Valência, na Espanha, onde George W. Bush e Osama Bin Laden tocam juntos. Nos pescoços o símbolo de paz e amor. Foto: Quim Massana. Licenciado por Creative Commons. Atribuição 2.0 genérica.

Por Priscila Pugsley Grahl de Miranda