O comerciante atrapalhado

É preciso ter muita atenção ao trabalhar com porcentagens!

 

Preocupado com a crise mundial, e com medo de perder dinheiro, um comerciante resolveu aumentar todos os preços dos produtos de sua loja em 10%.

Passados alguns meses, vendo que a crise não havia sido tão séria, e que os preços elevados estavam prejudicando o movimento na loja, voltou atrás em sua decisão. Como já havia descartado a tabela anterior, resolveu solucionar o problema oferecendo um desconto de 10% sobre os novos preços. Dessa maneira, acreditava estar retornando aos valores que praticava antes da crise.

Será que ele está certo?

Vamos tomar um exemplo numérico e efetuar as alterações de preço que o comerciante fez.

Um casaco que custava R$100,00, ao receber o acréscimo de 10% passou a custar R$ 110,00. Mas o desconto de 10% sobre esse valor corresponde a R$11,00, que, subtraídos de R$110,00, resultam em um preço de R$99,00 para o casaco!

Portanto, se a conta for realizada dessa maneira, o comerciante terá prejuízo.

Ele deveria notar que, na primeira vez em que calculou 10%, o valor base com que estava trabalhando era de R$100,00. Na segunda vez, apesar da porcentagem ser a mesma (10%), o valor base é diferente, então o resultado não voltará a ser o mesmo.

Portanto, fique atento para não ser prejudicado aplicando de maneira incorreta o cálculo de porcentagens!